Ryan Reynolds é um cara de sorte, muita sorte.

deadpool-critica

deadpool-testeApós o desastre seguidos em adaptações de HQ’s com Lanterna Verde, R.I.P.D. – Agentes do Além e o próprio Deadpool em X-men Origens: Wolverine,  ele parecia um ator destinado a ficar marcado eternamente por estas tentativas frustradas. Porém sua união com o diretor novato (não pela idade já que ele já alcançou as 50 Primaveras) T. J Miller, a insistência com a Fox e a liberação de um vídeo de teste “sem querer querendo” alguns anos atrás que repercutiu muito bem entre os fãs do personagem abriu uma nova oportunidade para o ator e o personagem.

A Fox surpreendeu e deu liberdade ao diretor e ator para levarem o personagem para as telas da maneira mais fiel possível e com uma classificação R (Maiores de 18 anos) nos Estados Unidos e em boa parte do mundo, aqui no Brasil o filme ganhou a classificação para maiores de 16 anos.

Como demonstrado nas primeiras peças de divulgação, Deadpool é um filme ímpar do gênero de super-heróis, já que de fato ele não é um super-herói e em momento algum ele se assume desta maneira, inclusive recusando convites para fazer parte dos X-men!

deadpool-movie-colussus-negasonic-warheadCom uma história pouco convencional, com boa parte da história se passando naquela cena mostrada no trailer onde ele ataca um bando de criminosos em uma rodovia e toca o terror, enquanto a história vai rolando na rodovia após uma abertura sensacional que se equipara somente a abertura de Watchmen (2009) e em meio a muitas piadas e referências (Ninguém escapa! Fox, Marvel, DC…) vários cortes de flashback vão contando como ele chegou até ali de uma maneira muito criativa.

A história de Deadpool chega a ser simples: Personagem tem um problema sério, no caso um câncer terminal em vários órgãos do corpo que descobre logo após achar um “momento de felicidade” com a sua stripper preferida Vanessa Carlysle (Morena Baccarin), aceita a proposta do grupo de Ajax (Ed Skrein) de passar por um procedimento que vai curá-lo e transformá-lo em um tipo de super-herói. Nada mal não é mesmo? Curar sua doença, ficar com a mulher amada e ainda por cima ganhar algum tipo de super-poder, mas mal sabia ele que o experimento iria transformar para sempre sua vida.

Wade Wilson consegue se curar, ganha o poder de “fator de cura” (sim, o mesmo do Wolverine), mas tem sua aparência totalmente descaracterizada, com vergonha de sua amada, não a procura após fugir de Ajax, e vai atrás dele em busca de vingança por ser enganado e principalmente para que ele possa recuperar sua aparência de galã, Ajax tem ajuda de Pó de Anjo (Gina Carano) que tem super -força.

deadpool-bacarrinEm meio a tudo isso Deadpool tem a ajuda dos X-men: Colossus (Stefan Kapičić – voz, Andre Tricoteux – captura de movimentos) e Míssil Adolescente Megassônico (Brianna Hildbrand) que tentam recrutá-lo para os X-men, Colossus tem sua melhor participação em todos os filmes de do universo X, temos ainda Al Cega (Leslie Uggams) a mulher idosa e cega que divide uma casa com Wade, o taxista indiano gente boa Dopinder (Karan Soni) e de seu melhor amigo Jack Hammer, o Fuinha que é interpretado pelo próprio diretor T. J. Miller.

O orçamento baixo de US$ 58 milhões de dólares impressiona pela qualidade do filme e seus efeitos especiais, a produção soube gastar e economizar na medida certa, dando prioridade ao fato do filme ter a liberdade que um filme classificação R permitindo que fosse explorado um humor mais pesado.

Deadpool está indo muito bem nas bilheterias, quebrando recortes para sua classificação etária (mesmo não tendo sido lançado na China devido as cenas e humor pesado) que é um mercado muito importante hoje para as bilheterias e salvam muitas produções.

O melhor é que ele pode ter aberto os olhos dos estúdios de quem filmes com classificação etária maior podem sim alcançar boas bilheterias, mas desde que sejam fieis ao material e aos que os fãs esperam do personagem.

Nota: 7 de 10 Pimentas!

 

Padu on FacebookPadu on Twitter
Padu
Editor em LMMT