Rolou no começo deste mês a Comic Con Experience, este ano entre os dias 01 e 04 de Dezembro/2016.

Infelizmente nesta edição não conseguimos credencial de imprensa para o evento e pudemos marcar presença apenas no ultimo dia (domingo) em que me programei para priorizar a entrada nos painéis do Auditório Cinemark e depois dar uma volta pelo evento para ver as novidades e atrações. Será que valeu a pena?

Pela experiência adquirida nos anos anteriores cheguei bem cedo ao evento esperando pegar a fila para entrar no auditório Cinemark e fui surpreendido pela ótima organização logo na chegada, eles separaram quem já entraria no Auditório Cinemark de quem entraria no evento para facilitar e isso agilizou MUITO! Após 1h30 aguardando eles liberaram por volta das 9h30 a entrada no Auditório Cinemark por uma entrada diferente que facilitou ainda mais nossa vida.

fila

Lembrando que na edição passada o São Paulo Expo ainda estava em obras de expansão e foi meio bagunçado o caminho de ida e volta onde todos tinham que passar pelos canteiros de obras (apesar de bem organizado), já nesta edição com as obras finalizadas a história foi outra com um espaço gigantesco e tudo em seu devido lugar!

O Auditório Cinemark ganhou muito mais lugares que no ano passado (passando de 2.350 para 3.300 lugares!), minha única crítica é boa parte dos lugares não serem no estilo Stadium, o que prejudica a visibilidade dos convidados no palco. No painel da Warner tivemos a interessante (mas um pouco monótona) vinda do diretor de Kong: A Ilha da Caveira, Macaíba Jordan Vogt-Roberts que falou sobre o processo de filmagem, relacionamento com atores, tamanho do Kong, locações mais realistas, comparações com os filmes anteriores que não tem ligação com o novo e principalmente sobre o futuro encontro do Kong com o Godzilla.

Em seguida tivemos a exibição de um clipe sobre Lego Batman: O Filme, com a exibição do trailer (já lançado anteriormente na rede), visita do personagem a cartões postais de São Paulo com direito a uma selfie e um “confronto” de Will Arnett dublador original do personagem com Duda Ribeiro o dublador nacional do personagem.

Tivemos a exibição de trailers dos próximos lançamentos do estúdio no próximo ano como: Rei Arthur (de Guy Ritchie), Annabele 2, mensagem de Eddie Redmayne de Animais Fantásticos e o que seria o prato principal: DC Filmes. Um clipe com diversas cenas dos filmes já lançados (Homem de Aço, Batman vs Superman, Esquadrão Suicida)  com mensagens especiais dos diretores Zack Snyder e Patty Jenkins e os trailers já exibidos de Mulher-Maravilha e Liga da Justiça, mas nenhum material inédito de fato para decepção dos fãs presentes (inclusive este), vale ressaltar que no sábado o painel com o diretor James Gunn de Guardiões da Galáxia 2 exibiu em primeira mão o novo trailer do filme, ou seja pegou a Warner/DC e esfregou no chão…

Em seguida tivemos a exibição  do trailer do filme nacional Bing: O Rei das manhãs com a estreia na direção de Daniel Rezende (montador de Cidade de Deus, Tropa 1 e 2, Robocop) que retrata a história de Arlindo Barreto, mais conhecido como o palhaço Bozo nos anos 80, foram entrevistados Daniel Rezende, Vladimir Brichta e Tainá Muller (Leandra Leal estava confirmada mas não pode ir=/), e olha este filme pareceu deveras interessante e pode ser uma grande surpresa nacional em 2017.

Encerrando o painel da Warner tivemos um especial em comemoração aos 75 anos da Mulher-Maravilha com o roteirista Brian Azzarello e o desenhista Yanick Paquette que falaram sobre a trajetória da personagem e expectativa com o futuro filme da heroína, com direito a uma pequena critica a Batman Vs Superman, quando os dois artistas preferiram não opinar quando perguntados sobre o que acharam do filme. Foi uma conversa interessante, mas causou estranheza que não tivemos nenhuma mulher no palco tratando-se de uma personagem feminina tão forte.

Após o encerramento do painel da Warner, o auditório Cinemark ainda teria a presença de Mauricio de Souza e da Netflix com Neil Patrick Harris divulgando a nova adaptação de Desventuras em Série para a Netflix, mas como já se passavam das 16h optei por sair do auditório para ver o resto do evento, caso contrário não haveria tempo o suficiente, será que compensou?azarello-mulher-maravilha-ccxp

Ao sair do auditório fui surpreendido com gigantescas filas, era incrível como em qualquer estande haviam filas e filas para entrar e até mesmo nas lojas (Panini, Comix, Harry Potter..), me deixando apenas a opção de passear pelos estandes mas sem poder interagir realmente com eles já que era inviável perder 1 ou 2 horas em filas para ganhar uma sacola da Warner ou brindes da Netflix.

No final acabei me arrependendo de ter saído do auditório Cinemark, era melhor ter assistido todos os painéis do que acabar não curtindo a feira do lado de fora devido as filas gigantescas.

Fica a dica e o aprendizado que é impossível ir apenas um dia na CCXP, garanta no mínimo dois dias no evento para poder aproveitar o painel no auditório lotado (chegue bem cedo!) e passear pelos estandes da feira.

Em 2017 estaremos lá novamente, desta vez mais preparados. =)

Padu on FacebookPadu on Twitter
Padu
Editor em LMMT